domingo, 13 de outubro de 2013

Aquário exige tempo, investimento e atenção; veja como montar o seu



A cor vibrante dos peixes, aliada à luz que se reflete na água, são alguns dos motivos que levam tantas pessoas a criá-los em aquários. Muito mais que uma mera decoração, a prática do aquarismo, ou aquariofilia, é, para algumas pessoas, um hobby – e objeto de estudo para muitas outras –, que exige, tempo, investimento e atenção, mas que modifica e embeleza um ambiente.


A montagem do aquário vai depender da área disponível para acomodá-lo. Se ficar restrito a uma parte da estante, o recipiente – de vidro, acrílico ou plástico – não pode ser muito grande. Nesse caso, a espécie de peixe escolhida não pode crescer muito, senão, o animal não terá espaço suficiente.

Reprodução


Se a opção for por um aquário maior, a espécie pode apresentar um crescimento maior, ou se pode abrigar um maior número de peixes. Além dos bichinhos, para a prática do aquarismo, são necessários conhecimentos básicos de biologia e química, evitando erros, por exemplo, no pH da água, o que pode matar os peixes, plantas ou outros seres vivos – como crustáceos e moluscos, que também podem compor o aquário.

Para criar a fauna e a flora do aquário de forma adequada, é preciso ter informações sobre as necessidades particulares de cada espécie e verificar a compatibilidade entre elas. Primeiro, e mais básico, é saber qual tipo de água – doce, salgada ou salobra – é mais parecida a seu habitat natural. Somado a isso, para cada tipo de peixe, há uma condição ideal de temperatura, pH e dureza – medida pela quantidade de íons de cálcio e magnésio – da água.

Fora esses três cuidados, ainda é necessário controlar a quantidade de amônia da água e a iluminação, principalmente em aquários que contiverem plantas, que precisam da luz para realizar fotossíntese. 

Além disso, os peixes, por não possuírem pálpebras, baseiam seu sono pela claridade, sendo que, se o ambiente estiver excessivamente claro ou for iluminado por muitas horas, o animal pode ficar estressado. Ainda deve-se prestar atenção na troca de água e na alimentação do bichinho, que não pode ser excessiva.


Tudo deve ser meticulosamente – ou melhor, química e biologicamente – controlado. É mais fácil manter esse controle em aquários pequenos, por isso, para pessoas sem experiência, recomenda-se recipientes pequenos, que exigem menos atenção e conhecimento de um criador de primeira viagem. (Fonte: hagah)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

EstampsCamisetas