quarta-feira, 5 de setembro de 2012

BMW S 1000 RR HP4 é superesportiva alemã pronta para a pista

BMW S 1000 RR HP4 pode ser usada na rua, mas a pista é seu verdadeiro habitat
BMW S 1000 RR HP4 pode ser usada na rua, mas a pista é seu verdadeiro habitat

As motocicletas superesportivas -- principalmente as de 1000 cilindradas -- não param de evoluir e estão cada vez mais rápidas e melhor preparadas para as pistas.

Mesmo assim, o motociclista que compra um desses modelos precisa fazer vários ajustes na moto antes de acelerá-la em um autódromo. Suspensão, freios e principalmente motor recebem atenção especial dos mecânicos para deixar a motocicleta pronta para encarar um dia de acelerações e frenagens fortes, sempre no limite.

No entanto, a rápida evolução da indústria de superesportivas pode deixar os preparadores preocupados com a falta de clientes. Esse é o caso da HP4. Depois de lançar a S 1000 RR em 2009 e ditar tendência no segmento, com muita potência e tecnologia embarcada, a BMW apresenta agora a S 1000 RR HP4. A nova motocicleta é derivada da linha “HP” -- de High Performance -- que começou em 2005 com os modelos HP2 Enduro, HP2 Megamoto e a HP2 Sport. No entanto, a HP4 é a primeira moto da classe a ter quatro cilindros.

Sua principal característica é o baixo peso: apenas 169 kg com o tanque vazio (na versão tradicional a moto pesa 178 kg). E os diferenciais não param por aí: pintura especial, painel de instrumentos exclusivo com o logo “HP4”, ponteira Akrapovic, rodas de alumínio, suspensão eletrônica DDC (Dynamic Damping Control), além de itens que já faziam parte da S 1000 RR, como controle de tração, controle de arrancada (Launch Control) e freios ABS -- que na HP4 foram ajustados para uso de competição, com os modos “Rain”,”Sport”,”Race” e”Slick”.
TECNOLOGIA
Buscando deixar a S 1000 RR ainda mais endiabrada, a BMW equipou a HP4 com o Dynamic Damping Control (DDC), um sistema de amortecedor eletrônico inédito como item de série em motocicletas que utiliza sensores para verificar as condições do pavimento, regulando as suspensões de acordo com o piso em que a moto está rodando. A tecnologia visa o máximo de desempenho nas pistas, mas a BMW faz questão de lembrar que a eletrônica também serve para ajudar pilotos comuns em estradas.
 
Outra novidade é o Race ABS, que já equipava a S 1000 RR, mas que foi aperfeiçoado. Os modos Rain, Sport e Race permanecem iguais, mas o modo Slick foi revisto e, segundo a marca, está mais sensível e eficiente, assim como o controle de tração (DTC). A BMW o manteve na HP4, mas no modo Slick esta eletrônica poderá ser ajustada de acordo com as condições da pista e a preferência do piloto.
Também está incluso na nova versão a função controle de largada (Launch Control), que no modo Slick garante que a roda dianteira não saia do chão (ideal para largadas) e o shift assistant, que permite trocar marchas sem a embreagem e desacelerar.
MESMA FORÇA, MENOS PESO
Se a intenção é otimizar o desempenho nas pistas, qualquer redução de peso é bem-vinda. A BMW começou o “regime” instalando rodas de alumínio forjadas e um suporte da coroa mais leve, que economizaram 2,4 kg em relação a S 1000 RR convencional. Outro item que contribuiu para a dieta foi o sistema de exaustão: todo em titânio, o sistema de escapamento da Akrapovic ajudou com a perda de 4,5 quilos, além de alterar a curva de torque, favorecendo as médias rotações -- o restante do regime foi proporcionado por algumas peças em fibra de carbono e outras mais leves, como a mesa que traz a inscrição HP4 e o número de série da moto, por exemplo.
O motor traz a mesma arquitetura da S 1000 RR: 999 cm³, quatro cilindros em linha e refrigeração líquida, capaz de produzir 193 cv a 13.000 rpm e 11,5 kgfm de torque a 9.750 rpm. A diferença foi a redistribuição do torque. Segundo a BMW, as faixas entre 6.000 e 9.750 entregam mais “força” que na S 1000 RR e os modos Rain, Sport, Race e Slick despejam todos os 193 cv ao piloto, com a mesma curva de aceleração, favorecendo a tocada esportiva -- enquanto na S 1000 RR a entrega de potência é diferenciada em cada modo.

Se todas as alterações na HP4 ainda não forem suficientes para se divertir em uma pista, a BMW disponibiliza acessórios para deixá-la ainda mais invocada. Chamado de pacote de competição, o kit conta com peças em carbono, pedaleiras mais esportivas, manetes de freio e embreagens de alto desempenho, rodas com acabamento em azul metálico e um kit de adesivos especiais.

NO BRASIL?
O painel de instrumentos é completo e traz informações de funcionamento do DDC, DTC e o Launch Control, por exemplo. A BMW HP4 começará a ser comercializada na Europa no fim do ano e ainda não teve seu preço divulgado -- a S 1000 RR é vendida por cera de 15.000 euros, aproximadamente R$ 40 mil, e a imprensa europeia diz que a HP4 chegará por cerca de 20.000 euros, ou R$ 52.000. Segundo a assessoria da BMW Brasil, ainda não há planos para trazer a HP4 ao país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

EstampsCamisetas